Zico quer mesmo ser presidente da Fifa?

Zico

A intenção do Zico é realmente se tornar presidente da Fifa? Pelo que ele disse à revista VEJA deste mês, a resposta é não e aumenta em mim a sensação de uma candidatura para recuperação, reforço e multiplicação de uma imagem positiva. No resultado, mais um gol do craque.

Mas, vamos à entrevista, que o Zico abre contestando o processo de escolha do presidente da Fifa: “A presidência da Fifa não deveria ser um cargo político, apenas técnico…”. Ou seja, não poderia ser disputado numa eleição. Então, subentende-se que, o processo, pra ele não serve.

Em seguida, a resposta à pergunta sobre se ele não estará se metendo “numa grande roubada, em vários sentidos”. Zico, sem se preocupar com o impacto nos eleitores do que diz, avisa: “Não dá para saber sem tentar. É melhor errar assim do que por omissão. Se der errado, não vou deixar de dormir”.

Depois, Zico fala sobre o apoio das federações e desdenha o que recebeu da CBF, base de sua campanha: “Fizemos uma reunião, eles me apoiaram e foi só isso. O Marco Polo Del Nero, presidente da CBF, deixou claro que transfere para mim a responsabilidade de conseguir os demais apoios. Mas eu não fui até ele pedir que conseguisse isso para mim. Não quero favores do Del Nero”.

No final, a irritação justa, mas nada estratégica, com o entrevistador: “Será que no comando da Fifa o senhor não poderia tentar anular aquele pênalti perdido na Copa de 1986?”. Ele respondeu: “Não estou dando entrevista para falar de brincadeiras…”.

Como o Zico aproveitará o resultado da decisão de ser candidato a presidência da Fifa, ainda não se sabe. Há quem acredite que o foco seja a eleição do Flamengo no final do ano.

Aguardemos.

Por Jackson Vasconcelos

 

Deixe um comentário