“Virando o Jogo”- 360 graus!

Otavio-Leite-Foto-George-Gianni-PSDB-3“A rigor, não haverá seleção brasileira competitiva sem clubes de futebol fortes”, eis a única verdade presente no artigo “Virando o Jogo”, do deputado Otávio Leite, publicado no jornal O Globo, na segunda-feira, 20/07. Do título ao fim, o texto é utopia propositada. 

O deputado comemora o fato de ter conseguido dar aos clubes de futebol mais uma chance para o pagamento parcelado e com excepcionais descontos das dívidas deles com o fisco. Um presente que sacrifica os demais contribuintes, que, por não terem igual poder de fogo nem quem, com as qualidades do deputado os representem, são obrigados a pagar os impostos em dia, sob o risco de, se não o fizerem, sofrerem duras penalidades.

Otávio Leite batizou a dádiva com o nome de Lei da Responsabilidade Fiscal do Esporte, para dar cores de Justiça àquilo que justo não é. Vaidoso, o legislador, fez questão de registrar, no artigo, o fato de haver, com a medida, tirado o futebol brasileiro do fundo do poço, situação identificada na derrota da Seleção Brasileira pela Alemanha com o placar de 7×1: “Ali, as vísceras de uma estrutura anacrônica e carcomida por desmandos, irresponsabilidades gerenciais e corrupção foram expostas literalmente”, escreveu ele.

Mentira exagerada, porque nada há na Lei Otávio Leite que modifique o ambiente de irresponsabilidade fiscal e trabalhista que há nos clubes de futebol.

Deus meu, a gente sabe como funcionam as coisas no Brasil. Há, na lei do senhor Otávio Leite, previsão de rebaixamento para os clubes que, em vigor a lei e o parcelamento, voltem a dever. Duvido que isso ocorra. Quando a medida atingir um clube com peso político, os colegas do senhor Otávio Leite criarão uma saída.

Tem mais. “Gestão temerária” para clubes de futebol com o modelo de gestão corporativa que adotam é uma piada. Os clubes administrados por gente que não está obrigada à dedicação, porque é gente não remunerada, que ocupa as funções por puro sentimento de torcida.

Os orçamentos e as contas dos dirigentes aprovados por colégios de conselheiros que contam com centenas de torcedores e sócios. No Flamengo, são mais de mil. Cairá também sobre eles a penalidade?

A Lei Otávio Leite está, sejamos justos,”virando o jogo”, mas numa virada de 360 graus.

Por Jackson Vasconcelos

Foto: George-Gianni

Deixe um comentário