Encontro “Que raios de eleição é essa?”

Na última terça-feira, dia 19, matei as saudades que sentia há muito de tempo de bons amigos. Aconteceu na Livraria Cultura, no Centro do Rio de Janeiro, que está num antigo teatro. As adaptações respeitaram a história, o que faz do ambiente um culto à cultura. O livro que escrevi, “Que raios de eleição é

Insensibilidade! Não tem outro nome

A deputada Mara Gabrilli está nas Amarelas da VEJA. Ela tem marcado a política com exemplos de atitudes firmes contra o PT, tendo como pano de fundo o assassinato do ex-prefeito Celso Daniel. A entrevista fez emergir, além das qualidades da entrevistada, duas situações opostas no campo da sensibilidade. Uma positiva: a da entrevistadora, Marcela

Esse Dória…

Julgue você mesmo. A Revista Veja promoveu entrevistas com várias personalidades em um teatro em São Paulo, num projeto que chamou de “Amarelas ao Vivo”. Na edição desta semana, a revista fez um compilado das perguntas e respostas do encontro. Destaco duas respostas do prefeito João Dória. Na primeira, ele afirmou: “Aliás, quero dizer uma

LULA x JAIR

O Datafolha publicou mais uma pesquisa para a disputa pela Presidência da República. Destacam-se Lula e Jair Bolsonaro. Não sou adepto de analisar pesquisas para eleições distantes do momento em que eleitor entra no ambiente, pois elas pouco dizem sobre o que acontecerá na época da disputa para valer. Mas, em se tratando de Lula

Roberto e Cássio

Li  o livro “Roberto Jefferson, o homem que abalou a República”, do jornalista Cássio Bruno. Li num salto só. Expectador privilegiado, passei por quase todos os episódios citados pelo Cássio. Gostei da obra. Ela é bem escrita. Em algumas passagens detalha demais, impressão talvez só para os que, como eu, acompanharam boa parte das cenas

É possível um Macron brasileiro?

A VEJA na edição de 8 de novembro apresentou Guillaume Liegey ao Brasil, estrategista de campanha do Presidente da França, Emmanuel Macron. Eu já deveria ter comentado. Mas, antes tarde que nunca. Estou atrasado, porque o esforço de sobrevivência toma tempo, no mais das vezes, tempo que eu gostaria de gastar escrevendo. VEJA deu título

“Eleições na era da mentira”

Eleições são resultados de campanhas, que deveriam ter liberdade de expressão. No Brasil, não têm, porque a Justiça Eleitoral, invenção nacional, castra a liberdade dos candidatos com base numa legislação confusa e paranóica, interpretada com absoluta casualidade pelos juízes. A revista Época comentou sobre mentiras e eleições, o estudo “Eleições 2018 – Perspectivas da comunicação

Parlamento Voto Zero

Gilmar Mendes e Luiz Roberto Barroso, ministros do Supremo Tribunal Federal enfrentaram-se no plenário do Tribunal desta quinta-feira, 26. O teor do embate não foram teses jurídicas nem conteúdos de processos. Os ministros fizeram acusações mútuas, ferinas, audaciosas, irônicas, coisa comum aos parlamentos e nunca aos tribunais. Tomei conhecimento do acontecido ao assistir o Jornal