Política 25/06/2018 às 11:50

MP 171… Opa, 671!

Não é por acaso nem por injustiça, que tenho defendido uma nova numeração para a MP do Futebol, a 671, que ficaria melhor vestida no número 171. Ela, simplesmente transfere a obrigação de pagar impostos dos clubes de futebol para os contribuintes, que recolhem regularmente. A carga fiscal tem esse título pelo peso que os

Malditas cotas!

Todo o trabalho dos clubes é feito para que aconteçam os jogos, causa única da paixão dos torcedores, que pagam qualquer preço por bons espetáculos. O escritor Eduardo Galeano abre o “Futebol ao Sol e à Sombra” com uma confissão: “Os anos se passaram, e com o tempo acabei assumindo minha identidade: não passo de

Egos inflados. Informação nenhuma.

“Quem diz o quê, para quem e com quais efeitos? E, em que canal?”, Lasswell. Sem sofisticar a leitura do modelo de Lasswell, faço dele uso para apreciar a exaltada discussão entre o jornalista Juca Kfouri e o Secretário-Geral da CBF, Walter Feldmann, nas páginas do jornal Folha de São Paulo. Aconteceu em maio, tempo

Comunicação demolidora!

A incompetência ainda não conseguiu tirar completamente a graça, a criatividade e o bom humor da comunicação no futebol. Muitas vezes até tenta, mas ainda há vida inteligente em alguns cantos. É o que se pode perceber quando se lê a notícia publicada no site do GloboEsporte.com, na segunda-feira. Reproduzo: “Para fechar um dia de

Projeto “Ronaldinho Gaúcho Vasco”?

Eurico Miranda prometeu à torcida contratar também o Ronaldinho Gaúcho, para dele fazer um produto de marketing, num projeto sem criatividade a começar pelo nome: “Ronaldinho Gaúcho Vasco”. Imediatamente, o Fluminense deixou vazar o seu interesse pelo mesmo jogador e o comentarista Juca Kfouri comentou. Eu mesmo, no Twitter, critiquei a intenção tanto do Eurico como

Eurico Miranda, outra vítima da emoção

Nenhum entusiasmo do mundo faria o presidente de uma empresa anunciar um produto sem tê-lo pronto para a venda. Os prejuízos para a imagem de uma empresa ou de uma marca no caso da venda antecipada de um produto fictício são incalculáveis! O amadorismo ou voluntarismo no futebol permite que isso aconteça, fácil, fácil. Vamos

Nosso time deu de 7×1!

A terça-feira amanheceu fria e chuvosa. O tempo acrescentou um grau a mais na minha tensão pré-evento. A chuva poderia aumentar os problemas normais e bem complicados de trânsito no caminho de São Conrado, onde está, no shopping Fashion Mall, a filial da Livraria Cultura, que abraçou o debate de lançamento do livro “O Jogo

O Jogo dos Cartolas – Futebol e gestão

SINOPSE: ‘O jogo dos Cartolas – Futebol e Gestão’ é um olhar crítico da gestão de clubes pela ótica de um executivo que gerenciou por quatro anos um dos grandes clubes brasileiros – o Fluminense Football Club – sem ter, durante toda a sua vida, torcido por um time de futebol. Com essa visão diferenciada,

Joseph Blatter, uma lição

Por que o Joseph Blatter renunciou e convocou nova eleição para a Presidência da FIFA, no dia seguinte à reeleição? Isso não pareceu coisa de doido? Mas, de doido o homem nada tem. Então, qual o motivo? Na opinião de dez entre dez analistas e palpiteiros, onze ou doze causas diferentes tentam explicar o fato.