“Não há regra na eleição americana”

“Não há regra na eleição americana”, traduziu Camila Zarur, das palavras que ouviu do correspondente da revista “The New Yorker”, Ryan Lizza. A entrevista está na página 2 do O Globo de quarta-feira, 18 de outubro.

Ryan faz considerações sobre a campanha e eleição de Donald Trump. Ele mostra que resultado inesperado derrubou um velho costume, uma regra, das eleições americanas. Daí, a manchete.

Diz ele: “Em geral, o que acontecia era que candidatos como Trump nunca iam muito longe. Eles podiam até ganhar força e conquistar o coração de uma parte do partido durante as primárias. Mas, em algum ponto, não aguentavam a pressão e sumiam”.

Pode ser, mas, a eleição do Trump, se derrubou uma antiga regra as campanhas eleitorais americanas, confirmou uma antiga norma essencial para estabelecer a estratégia, que vale para qualquer eleição em qualquer lugar do mundo: nunca subestime ou superestime os adversários.

A íntegra da entrevista com Ryan está AQUI. No meu canal do youtube, e abaixo, compartilho vídeos sobre o tema.

Por Jackson Vasconcelos

Deixe um comentário