Hillary vs Trump: Uma mensagem direta

hillary-clinton-a-1024Na campanha para Presidente dos Estados Unidos estou cadastrado como apoiador da Hillary Clinton, com a intenção de ter informações sobre as campanhas nos Estados Unidos. Por conta disso, recebo todos os dias, às vezes mais de uma vez por dia, os comunicados da Hillary, do marido, ex-presidente Bill e da filha deles, Chelsea.  

Separei um dos comunicados para usar como exemplo de uma das mais importantes considerações sobre a comunicação numa campanha eleitoral. O comunicado nasceu no exato momento em que a Hillary ficou segura de ser a candidata do seu partido, Democratas.

Ela, então, dirige as baterias de argumentos para o candidato republicano, o exótico, Donald Trump. E inicia a mensagem, desqualificando-o como candidato do partido dele. Ela diz que ele conquistou o papel, porque os republicanos nunca acreditaram que ele conquistariam.  Em seguida, ela alerta os seguidores dela para o risco de fazerem o mesmo.

Amigos,

Hoje à noite, Donald Trump será o candidato republicano para presidente.

Vale a pena lembrar como chegamos até aqui: Durante meses, vimos os republicanos  basicamente, deixá-lo sozinho. Eles não o levaram a sério, não prestaram atenção nele e, simplesmente, cruzaram os dedos e esperam que ele cairia sozinho.

Quando os demais candidatos do Partido Republicano decidiram atacar Trump com fortes argumentos para derrubá-lo, era tarde demais.

Existe o risco de nós democratas agirmos do mesmo modo. Afinal, Trump é ofensivo, vulgar, tão evidentemente terrível, que você pode ser levado a olhar pra ele e pensar: “não há nenhuma chance de ele ser eleito”.  

Não faça isso. Ao subestimarmos o Trump como fizeram os Republicanos no início do processo, ele poderá ganhar uma eleição geral. Se eu, você, nós todos, imaginarmos que ele, com o próprio peso, entrará em colapso. Se isso acontecer, assistiremos estarrecidos a posse do Donald Trump na Presidência dos Estados Unidos em janeiro.

Se você quer derrotar Donald Trump, só você pode detê-lo. Some comigo para, com garra, vencermos a eleição.

A mensagem é curta, objetiva, convincente e direta como devem ser as mensagens para conquistar apoios e votos.

Por Jackson Vasconcelos

Deixe um comentário