Alianças ou conchavos?

Geraldo Alckmin fez acordo com o que chamam de Centrão, um amontoado de partidos políticos, para ter mais tempo de propaganda política na TV. Aqui no Estado do Rio de Janeiro, Eduardo Paes fez o mesmo.

Geraldo Alckmin tem defendido o acordo, que a população olha com desconfiança, com o argumento de governar. Minha dúvida é: Geraldo Alckmin e Paes ganharam tempo para campanha, isso é fato, mas conquistaram condições melhores para governar?  

A experiência me diz que não. Certamente, os que firmaram aliança com Alckmin e Eduardo Paes, não colocaram na pauta as melhores condições para governar. Pediram cargos e acesso rápido, fácil e opacos às verbas públicas para fazer política partidária.

Artigo do O Globo (13/08). Clique para ampliar.

Isso coloca uma camisa de força no destino do Alckmin e do Eduardo Paes. Se, no governo, atenderem os aliados, reforçarão a crise econômica, companheira sinistra do governo federal e do governo do estado. Se não atenderem, criarão uma crise política, do tipo que levou os presidentes a dois impeachments e o governador atual do Estado do Rio de Janeiro à posição de refém de uma quadrilha que destruiu as esperanças da população de ter um governo para chamar de seu.

Pego carona no artigo, que Fernando Gabeira publicou no O Globo, “Eleger ou Derrubar” Ele abriu o artigo com “Em plena campanha, não sei se estamos realmente escolhendo um presidente ou cavando uma crise para que ele se afunde, como afundaram seus antecessores”.

Encerrou, reafirmando, “Precisamos escolher alguém para eleger, e não para derrubar no ano seguinte”. A história recente do Brasil com a democracia dá sentido à preocupação do Fernando Gabeira: Elegemos quatro presidentes e mandamos dois embora, antes do prazo. Os que foram demitidos, foram por perderam apoio das “alianças”, que construíram com o Congresso Nacional.

Houaiss dá à palavra aliança o significado de pacto ou tratado entre indivíduos, partidos, povos ou governos para determinada finalidade. O Dicionário da Política de Bobbio, Matteucci e Pasquino, é obra que Collor, quando presidente, carregava pra fazer figuração, para passar a imagem de intelectual. O dicionário dá às alianças o significado de acordos entre nações e classifica-as em secretas e abertas, gerais ou limitadas.

No primeiro caso, o problema das alianças firmadas por Alckmin a nível nacional e por Paes no Estado do Rio de Janeiro, é a finalidade. Para que finalidade uniram-se os que estão com Alckmin e com Paes? Como a finalidade não pode vir à tona, entramos, então, na classificação que Bobbio, Matteucci e Pasquino, dá para as alianças. As firmadas por Alckmin e Paes são secretas, protegidas por segredos que virão à tona quando a população outro caminho não terá, a não ser dar o desprezo ou apoiar impeachments e intervenções.

Por Jackson Vasconcelos

Deixe um comentário