Tempo é fundamental para a estratégia correta

alx_rio-pedro-paulo-20151112-001_originalEm 2008, a senhora Alexandra Marcondes procurou a delegacia e denunciou agressões físicas e morais que sofreu do marido, deputado federal Pedro Paulo. A delegacia anotou a ocorrência, encaminhou Alexandra ao exame de corpo delito e deixou o caso em banho-maria. O tempo passou.

Na entrada de 2015, o Prefeito do Rio, Eduardo Paes anunciou publicamente a candidatura do deputado Pedro Paulo à sucessão dele. Pule de dez, em razão do sistema de financiamento de campanha, que fragiliza os adversários da prefeitura e das Olimpíadas, que dariam à prefeitura, ao prefeito e ao candidato dele, visibilidade positiva.

Mas, um espírito de porco da oposição deu de presente aos eleitores o boletim de ocorrência registrado em 2015. A campanha do Pedro Paulo entrou num inferno astral. O candidato e todos os aliados dele entraram em pânico, ficaram diante das câmeras e dos holofotes, totalmente, desconsertados.

O melhor a fazer ali seria retirar a candidatura do agressor. Mas, como a decisão estava fora da pauta do prefeito, a turma resolveu encarar. Trouxeram a mulher agredida para a cena. Sem dó nem piedade. Ela ficou exposta, humilhada, mas conservando o papel de madalena arrependida por ter denunciado o ex-marido, pai de uma filha dela.

O mundo político apostou todas as fichas na desistência dos aliados, na renúncia do denunciado ou na incapacidade de todos reverterem a situação.

Mas, era cedo demais para a medida. Os adversários deram tempo para que o agressor, pela exposição absurda, com o peso da máquina e do poder, seguisse o caminho de tornar a denúncia uma coisa natural numa campanha eleitoral, convencer a agredida a desfazer o problema e, com base no depoimento dele, obter do aliado Poder Judiciário a sentença de inocência.

Estamos nos 30 dias finais de campanha. Os Jogos Olímpicos aconteceram. A imprensa comprou o sucesso, que tinha desconjurado. O caso Pedro Paulo e Alexandra distancia-se do processo e o candidato começa a mostrar que tem fôlego para vencer a barreira, o enorme peso que tinha nos pés.

Ainda é cedo para falar do resultado, mas, verdade é que os adversários do Pedro Paulo fizeram a favor dele um serviço que nem o melhor estrategista conseguiria cumprir: denunciaram cedo demais.

Se a denúncia viesse nestes 30 dias finais, Pedro Paulo que, pela força da máquina, com certeza, estaria no primeiro ou segundo lugar das pesquisas, despencaria de lá para os últimos lugares, como aconteceu algumas vezes na história das campanhas. Quem não se lembra do caso Ciro Gomes? Que, aliás, é um dos aliados do Pedro Paulo.

Por Jackson Vasconcelos

Deixe um comentário