Política 24/04/2018 às 16:53

Meirelles, como explicar isso?

Henrique Meirelles deu um show no Ministério da Fazenda. É o que mostra o artigo “É provável que o debate da agenda fiscal fique para 2019”, do Luiz Guilherme Schymura, Doutor em Economia, publicado na Revista Conjuntura Econômica deste mês. As primeiras linhas já evidenciam o sucesso. O déficit primário do governo central ficou R$

Maluquices eleitorais 3

Já tratei aqui de uma das maluquices do sistema eleitoral brasileiro. A desincompatibilização, nome feio que só e que se traduz em atos de hipocrisia e desperdício de dinheiro público. Volto ao tema com outro exemplo. Vejam só porque a presidente daquele troço esquizofrênico que há em Brasília para confundir a já confusa Constituição Brasileira

Maluquices eleitorais 2

A Lei do Ficha Limpa diz que alguém condenado por um colegiado de juízes, em 2ª instância, não pode ter o registro de candidatura a um cargo eletivo. Puxa! Que bom! A Lei evita então que criminosos sejam candidatos, certo? Errado. Só impede os condenados em 2ª instância. Os que foram condenados na primeira instância

Fake News: Falta um detalhe…

Fake News é a febre do momento eleitoral. Algo assim como um barco em que todo mundo embarca sem saber aonde está indo. A Fundação FHC, o Centro Edelstein e a rádio CBN pularam dentro desse barco. Fizeram uma boa exposição em vídeo e texto. Eu senti falta de um detalhe, que pode ser a

Maluquices eleitorais 1

Vejam só o que diz a lei eleitoral sobre desincompatibilização. Ela existe para evitar que quem ocupa cargo público utilize a função como ferramenta de campanha, naquilo que popularmente chamam de “uso da máquina”. Parece coisa boa e justa. Coisa que tornaria equilibrada a disputa. Certo? Quase certo, porque há na lei uma esquisitice. Vamos

Discurso só vale com prática, isso é novo

Macron venceu a eleição na França. A vitória foi assunto no mundo todo. Quem operou a campanha do Macron colocou o pé na estrada e foi bater de porta em porta pelo mundo para vender a fórmula da vitória. Nascia o livro “Macron por Macron”. Eu mesmo fui premiado com uma reunião com a turma,