Eleições no Fluminense: Salário do presidente

A premiada jornalista Dorrit Harazim, editora da revista Piauí, escreve semanalmente no O Globo. No domingo publicou “O salário do governante”. Ela aborda a promessa do Presidente Trump de abrir mão do salário. No artigo estão argumentos suficientes para sustentar a defesa que sempre fiz de remunerar-se os presidentes dos clubes de futebol, principalmente, o

Eleições no Fluminense: Debate

A data escolhida pela Rádio Globo decidiu o calor do debate. Obrigou os candidatos a um “jogo de cartas marcadas”, a “cumprir tabela de campeonato”, a “um lance de espera”.  O jogo, contudo, ainda não está jogado. Estamos na partida preliminar. No xadrez existe o “lance de espera”, uma jogada que parece sem sentido, mas

Eleições no Fluminense: Quem financia?

Quatro candidatos disputam a eleição para Presidente do Fluminense. O Estatuto diz que para registrar a candidatura, cada um deverá inscrever uma chapa com 200 nomes de sócios contribuintes e/ou proprietários. Ele comporão o Conselho Deliberativo, que é formado por 300 conselheiros, 150 natos (beneméritos) e 150 eleitos titulares e 50 suplentes. Então, 800 sócios

Nova Era no Rio de Janeiro

Alguma coisa aconteceu aqui no Rio de Janeiro nas eleições deste ano, que me faz acreditar ser esse um bom momento para registrar um texto presente no livro “A Civilização do Espetáculo”, do escritor Mário Vargas Llosa, obra que faz uma radiografia perfeita da sociedade moderna. O texto está no capítulo “Pedra de Toque” com

Tô de saco cheio da democracia!

Roberto Stefan Foa e Yascha Mounk utilizam no trabalho “A desconexão democrática”, dados do World Values Survey e o período entre 1995 e 2014, para demonstrar  que nos Estados Unidos, em 1995, 16% das pessoas entre o final da adolescência e o início da vida adulta consideravam a democracia um regime “ruim” ou “muito ruim”.